**

segunda-feira, 13 de março de 2017

Câmara do DF deve decidir nesta 2ª se Corregedoria vai investigar Sandra Faraj.


Gabriel Luiz, g1 DF
A deputada Sandra Faraj (SD), autora do projeto que inclui o tema “valores de ordem familiar” como conteúdo transversal nas escolas públicas do DF” (Foto: Carlos Gandra/CLDF)
A Câmara Legislativa do Distrito Federal deve decidir nesta segunda-feira (13) se arquiva ou manda para a Corregedoria o processo de quebra de decoro parlamentar envolvendo a deputada Sandra Faraj (SD). Ela é acusada de irregularidades no uso da verba indenizatória.
Segundo o presidente da Câmara, Joe Valle (PDT), a Mesa Diretora já teve acesso à defesa da distrital – enviada na última sexta (10). “São dois caminhos: ou o arquivamento, caso as provas que ela encaminhou sejam todas autênticas e façam frente ao que foi colocado pela ONG ou segue para a corregedoria caso houver alguma dúvida”, informou Joe.
A Mesa Diretora da Câmara está analisando o pedido da ONG Adote um Distrital, do dia 24 de fevereiro, decorrente da denúncia do empresário Filipe Nogueira. Ele trabalhou no gabinete da parlamentar e ao mesmo tempo a empresa de sua mulher, a NetPub, prestou serviços para Sandra Faraj. Segundo o empresário, os serviços não foram remunerados, mesmo tendo a deputada recebido verba indenizatória para isso.
MP investiga deputada Sandra Faraj
A direção da Câmara tinha dado prazo de 72 horas para que Faraj apresentasse comprovantes do pagamento. Para o representante da Adote um Distrital Olavo Santana, a parlamentar precisa provar o uso correto da verba indenizatória. “É relativamente simples, ela deveria apresentar os comprovantes de pagamentos e poderia encerrar aqui a questão da verba indenizatória, mas o que acontece ao que tudo indica é uma ação protelatória dos advogados dela.”
Ponto de Vista: Irmã irmã a casa caiu. Tu vigiou pouco.
Blog Sim Nós Podemos!!!!👉👈?