**

quinta-feira, 20 de abril de 2017

O maior caso de virada de mesa do Futebol Brasileiro: 1986/1987. CBF Lixo e sem moral.

viradademesa
Por JOSE RENATO SATIRO SANTIAGO
O título brasileiro de 1987 é, sem dúvida, uma das maiores polêmicas em nosso futebol. As discussões sobre quem foi campeão brasileiro daquele ano são muito quentes. Não entrarei nela, mas gostaria de resgatar outra questão que costuma ser pouco discutida sobre aquela competição.
O Campeonato Brasileiro de 1986 seria disputado por 44 equipes e mais 4 que iriam “subir” da segunda divisão entre as duas fases iniciais.
O Conselho Nacional de Desportos, antigo CND, tinha a intenção de reduzir o número de participantes da primeira divisão do campeonato brasileiro. Ao lado da CBF estabeleceu que o campeonato de 1986 seria classificatório para o de 1987, quando 24 equipes participariam do mesmo.
O regulamento original de 1986 estabelecia que da primeira para a segunda fase 32 equipes se classificariam.
– As 6 primeiras colocadas de cada um dos 4 grupos formados por 11 equipes. (24)
– As 4 com melhores campanhas, entre as eliminadas. (4)
– A campeã de cada um dos 4 grupos do Torneio Paralelo, Segunda Divisão (4)
Na Segunda Fase, as 24 melhores colocadas fariam parte da primeira divisão do Brasileiro de 1987.
No entanto, ainda na primeira fase, o Vasco da Gama, que corria risco de não se classificar para a fase seguinte entrou com um processo junto a Justiça Comum para anular a decisão do STJD que tinha atribuído 2 pontos ao Joinville, do jogo entre a equipe catarinense e o Sergipe que tinha acabado 1 a 1 em 29 de setembro de 1986. O STJD tinha tomado esta decisão por conta de um caso de doping de Carlos Alberto, jogador sergipano.
O Joinville recorreu da decisão, e reconquistou os pontos.
A decisão acabou por voltar contra a Portuguesa, que tinha um processo da Justiça Comum, por conta de uma questão que envolvia a venda de ingressos.
A Lusa chegou a ser eliminada.
Foi a vez das equipes paulistas se unirem a causa da Portuguesa e ameaçarem sair do campeonato.
A CBF decidiu mudar o regulamento, e classificou mais quatro equipes, Vasco da Gama, Náutico, Santa Cruz e Sobradinho.
Agora a Segunda Fase teria 36 equipes, 4 a mais que o regulamento original definia.
Além disso, ficou definido o aumento para 28 no número de classificados para o campeonato nacional da primeira divisão de 1987, 4 a mais que o regulamento original.
Se esta segunda versão do regulamento tivesse sido obedecida, as 28 equipes que disputariam a Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro seriam:
Atlético – GO, Atlético – MG, Atlético – PR, América – RJ, Bahia, Bangu, Ceará, Corinthians, Criciúma, Cruzeiro, CSA, Goiás, Grêmio, Guarani, Flamengo, Fluminense, Internacional – RS, Internacional – SP, Joinville, Náutico, Palmeiras, Portuguesa, Rio Branco – ES, Santa Cruz, Santos, São Paulo, Treze e Vasco da Gama.
No entanto, em 1987, a criação do Clube dos 13 e a realização da Copa União, tiraram da principal competição nacional de 1987 as seguintes equipes, no meu entendimento, as maiores prejudicadas.
Atlético – GO, Atlético – PR, América – RJ, Bangu, Ceará, Criciúma, CSA, Guarani, Internacional – SP, Joinville, Náutico, Portuguesa, Rio Branco – ES e Treze.
Dentre estas 14 equipes, apenas o América – RJ, por se sentir prejudicado, se recusou a participar do campeonato organizado pela CBF em 1987, o chamado Módulo Amarelo
O Clube dos Treze resgatou, em 1987, duas equipes que deveriam participar da Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro daquele ano, no caso, as maiores beneficiadas: Botafogo – RJ e Coritiba.
Ao organizar o Módulo Amarelo, a CBF resgatou para o que ela considerou como também sendo da Primeira Divisão, duas equipes que deveriam participar da Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro de 1987, são elas: Sport e Vitória – BA.
Se a CBF tivesse utilizado como critério completar o Módulo Amarelo com as equipes classificadas imediatamente depois daquelas que já tinham conseguido a vaga no campo, elas seriam o Vitória – BA, que foi realmente chamado, e a Ponte Preta, outra prejudicada que acabou tendo que disputar o Módulo Azul, uma espécie de Terceira Divisão do Brasileiro. Lembrando que o critério anterior era “chamar” as equipes com melhores campanhas na Segunda Fase do Brasileiro de 1986.
Isto é, o Sport sequer estaria presente no Módulo Amarelo em 1987, sendo assim, outro grande beneficiado pela Virada de Mesa. Justiça seja feita de acordo com o STF que agora manda no futebol. Aff...Não estou defendendo o Flamengo mas a lisura de um campeonato que não deveria ter sido a zona que foi. De repente a Ponte Preta poderia ter sido campeã ou o pobre América ou o Vasco ou o Náutico enfim...O fato é que isso aconteceria com o Inter de Porto Alegre, caso fosse campeão. Que feio um rebaixado ter sido campeão através da virada de mesa. Será que o abestado do Diego Souza buá buá...😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭 sabia disso? kkkkkkkk
Blog Sim Nós Podemos!!!!👉👈?