terça-feira, 25 de abril de 2017

Professora agredida em sala de aula será indenizada pelo DF.


migalhas
A mulher é professora da Secretaria de Educação do Distrito Federal e conta que, em maio de 2015, estava em sala de aula de escola pública em que dava aula durante o período de intervalo quando foi surpreendida por um desconhecido que invadiu a instituição. Ela aponta que foi severamente agredida e sofreu várias lesões, as quais acarretaram diversos tratamentos médicos e grande abalo emocional.

Assim, ingressou com ação para obter o ressarcimento pelos danos materiais referentes a despesas médicas, e morais pela omissão no oferecimento de segurança da escola.

O Distrito Federal contestou, alegando que a responsabilidade do Estado no caso é subjetiva e que a professora não teria provado a falha na segurança. Mas a 1ª instância julgou parcialmente procedente o pedido da professora e condenou o Estado a indenizar a funcionária em R$ 20 mil por danos morais e R$ 540 por danos materiais. Ambas as partes apelaram.

Sobre o recurso do DF, a magistrada entendeu que não há como afastar o dever de indenizar os danos suportados pela autora. “No caso, estão fartamente demonstrados os requisitos da responsabilidade civil e há fundamentos suficientes à imposição do dever de reparar.”

Já a professora solicitou aumento do valor fixado pelos danos morais, pedido ao qual o colegiado deu provimento. Em razão da gravidade dos danos relatados, a relatora, desembargadora Fátima Rafael, reformou a sentença para majorar o valor para R$ 25 mil.

    "O quantum indenizatório por danos morais não deve levar ao enriquecimento ilícito, ao contrário, deve trazer ao ofendido algum alento no seu sofrimento, bem como repreender a conduta do seu ofensor." 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏
 Processo: 0019379-76.2015.8.07.0018
Blog Sim Nós Podemos!!!!👉👈?