quinta-feira, 6 de abril de 2017

Um PM morre no Rio a cada dois dias desde janeiro. leiam.

Enterro do sargento Sergio Cordeiro da Silva foi enterrado nesta quarta-feira 
Ricardo Rigel
O número de policiais militares mortos no Rio já chega, desde o início do ano, a 48. Isso significa que a corporação tem perdido, em média, um homem a cada dois dias. A estatística cresceu ainda mais na terça-feira, quando dois sargentos e um soldado foram assassinados na Baixada Fluminense. Os crimes ocorreram nos municípios de Queimados, Japeri e Belford Roxo.
Em Queimados, a vítima, a 48ª em 95 dias, foi um sargento que atuava na Operação Lei Seca. Anselmo Alves Junior, de 37 anos, estava numa blitz quando três bandidos furaram o cerco e abriram fogo contra os agentes. Os PMs revidaram e Anselmo e outro sargento foram atingidos. Ambos foram levados para a UPA de Queimados, mas Anselmo, que era casado e pai de duas crianças, morreu no local.
O outro policial está internado em estado estável no Hospital Central da PM. Um dos homens que furou o bloqueio também morreu. Um outro foi preso e o terceiro conseguiu fugir. O sargento foi enterrado nesta quarta-feira com honras militares no Cemitério de Xerém.
Também foi sepultado nesta quarta-feira, no Jardim da Saudade, em Sulacap, o soldado Gilberto Guimarães Pereira Corrêa, de 25 anos. Ele foi baleado na barriga e no queixo, durante uma operação policial, em Belford Roxo, na última sexta-feira. Ele estava internado em estado grave no Hospital da Posse, mas não resistiu e morreu na manhã de terça-feira. Ele estava na corporação há seis anos e estudava para ser professor.
- Não tenho palavras para descrever a pessoa maravilhosa que ele era. Um filho incrível, um pai maravilhoso. Era muito querido por todos. No hospital, ligaram tanto que até congestionou o sistema de telefonia deles. Gilberto só tinha 25 anos, deixou um filho pequeno. E agora, como fica? - lamentou o pai do soldado, José Antônio Corrêa.
No mesmo local, foi sepultado nesta quarta-feira o sargento Sérgio Cordeiro da Silva, de 47 anos. O agente foi morto durante uma abordagem a bandidos em Belford Roxo. Ele estava na PM havia 20 anos e deixou mulher e uma filha.
Ponto de Vista: Você, caro leitor deste simples blog, você governo, você STF, tem a noção do que isso significa? Acredito que sim, pois o policial é um cidadão assim como qualquer um, paga os seus impostos, tem problemas assim como qualquer pessoa, só que trabalha numa instituição cheia de vícios arrastados; o que é isso? Simples....é o combate ao crime, ao tráfico de drogas no Rio e em todo o país, com uma certa desvantagem de efetivo, de armas (é inadmissível combater o crime com apenas uma pistola), sem motivação, sem aumento, sem mudanças nas leis, enfim, sem a devida condição; o pior é que todo governo vê mas não enxerga. O bandido morre em combate com a polícia ou entre eles, aí algum imbecil seja do governo ou da sociedade solta comentários sórdidos dizendo que trata-se de um "estudante ou trabalhador ou jovem", isso sem levarmos em conta a falsidade dos direitos dos manos, que sempre falam merda. Quando é um policial que morre, o silêncio impera. Ninguém fala nada, ninguém toma uma decisão; direitos humanos????? O que é isso????? O fato é que no Rio, de 2 em 2 dias, a PMERJ vai acabando ou seja nessa proporção até o final do ano 182 policiais irão morrer. Quando isso chegar no comando (quando eles começarem a morrer) quem sabe eles tomem uma decisão em prol da polícia pois se depender do governo federal e estadual, a PMERJ está fadada ao fracasso e ao fim; infelizmente. Uma polícia tão maravilhosa que está no meio de uma "faixa de gaza", de um lado o governo que nunca fez nada e sempre se acovardou, do outro os bandidos que sempre estão mais armados que a polícia e mais decididos que a polícia e festejam quando um nobre policial morre e o pior, com o apoio de sua comunidade, infelizmente; e o governo???? Bom, o governo é corrupto e a polícia não tem forças para corrigir isso; a sociedade sim; o fato é que se nada for feito, logo logo o Rio virará um "velho oeste" cada um ou cada qual com a sua arma. A justiça???? Bom, a justiça é injusta. Né verdade STF? Né verdade Gilmar Mendes? Né verdade Carminha? Né verdade Luis Roberto Barroso? Que decepção tê-los como ministros do STF. Quer dizer que as forças policiais não podem fazer greve? Estão vendo aí, um dos resquícios que levam o policial a lugar algum não tendo direitos nenhum? Pois é, então que cada ministro macho pra caramba, retire a sua segurança e aja como representante da sociedade fazendo o bem e andando de cara limpa pela cidade e ajudando a fortalecer a polícia militar do Rio de Janeiro e de todo o país. É difícil fazer isso? Se não der conta, me chama que eu resolvo. O que não pode é o policial morrer e ninguém tomar uma decisão.
Blog Sim Nós Podemos!!!!👉👈?