sexta-feira, 14 de julho de 2017

Lula foi condenado COM provas abundantes. Não caia na conversa de quem tá com dele na reta.

Lula no triplex do Guarujá com Léo Pinheiro 
Flavio Morgenstern
A narrativa atual feita pelos petistas e pela esquerda diante da condenação de Lula pelo juiz Sérgio Moro, já que o mito do “Lula dos pobres” foi desfeito, é a de que o ex-presidente teria sido condenado “sem provas”, tão somente usando-se a força da lei para impedir que Lula disputasse as eleições de 2018.
A narrativa (e tudo o que importa em política, como em boa parte da vida, são narrativas) é complementada com tentativas de associar o juiz Sérgio Moro aos adversários eleitorais do PT, o PSDB (que só apoiou o impeachment de Dilma depois de toda a sociedade), além da Rede Globo, que é incalculavelmente mais pró-PT do que anti-PT.
Assim, petistas tentam comparar a condenação de Lula, com as provas documentais do caso do triplex (incluindo documentos na casa de Lula em São Bernardo, que são provisoriamente “esquecidos” na hora de engabelar o povo), com as provas contra Aécio e Temer. O primeiro é uma anta o suficiente para deixar pastas com a sigla “cx 2” em sua casa (sic). O segundo tem contra si, justamente, a Rede Globo, que fez um auê desgraçado sobre uma frase de Temer gravada por Joesley Bastista, que nem comprovou tanto o sentido que a Globo (e o país) queria que tivesse.
Mas, bem ao contrário da típica narrativa petista, abundam provas documentais, além das testemunhais e circunstanciais, no caso da condenação de Lula. O que a Justiça tem de fazer é montar um todo coerente, mostrando que qualquer outra visão (como a de que Lula não usufruiu do triplex) possui incoerências. E assim o fez.
A decisão do juiz Sérgio Moro possui 218 páginas. É hilariante pensar que qualquer petista a tenha lido em 2 minutos antes de sair esbravejando no Twitter que “Moro condenou sem provas” para a militância roboticamente repetir, no conhecido processo de dog whistle. Até falando do “terno preto cafona” e da “voz que não combina com a cara” de Sérgio Moro. E olha que era ninguém menos do que o breguíssimo Big Brother Jean Wyllys tentando dar lição de elegância(...) que não vale o que o gato enterra.
Blog Sim Nós Podemos!!!!👉👈?